REPRODUÇÃO/ SANTA CECÍLIA TV REPRODUÇÃO/ SANTA CECÍLIA TV

Assista ao programa Porto & Negócios especial sobre a Conferência Internacional de Portos

Assista à edição desta semana do programa Porto & Negócios, apresentado por Maxwell Rodrigues e exibido pela Santa Cecília TV. No programa especial, um resumo da Conferência Internacional de Portos, que aconteceu na última semana em Vitória/ES. Maxwell Rodrigues foi um dos seis palestrantes do encontro.

 

 

Leia Mais
DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO

Edital prevê lance mínimo de R$ 1,6 bilhão para leilão da Ferrovia Norte-Sul

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) liberou nesta terça-feira (27) a proposta de edital e os estudos da concessão da Ferrovia Norte-Sul. Segundo os documentos, o lance mínimo para o leilão será de R$ 1,63 bilhão, em parcelas anuais enquanto durar o contrato de concessão.

A chamada minuta do edital ficará em consulta pública até 11 de agosto e a previsão do governo é que o leilão ocorra em 15 de fevereiro do ano que vem.

Em construção há quase três décadas, a ferrovia prevê a ligação do Pará ao Rio Grande do Sul. Nos últimos anos, órgãos de investigação apontaram suspeita de superfaturamento e desvio de recursos da obra. O trecho que irá a leilão tem 1.537 km e vai de Porto Nacional (TO) a Estrela d’Oeste (SP). A ferrovia é tida como um dos principais projetos para escoamento da produção agrícola do país.

Como será o leilão
O leilão será por maior lance, portanto, ganhará o direito de explorar a ferrovia quem ofertar o maior valor além do lance mínimo exigido. A concessionária assumirá o trecho da ferrovia já concluído. Além disso, a maior parte do investimento previsto para toda a concessão, de R$ 2,8 bilhões, deverá ser investida na compra de material rodante.

Além da minuta de edital e dos estudos econômicos da concessão, a ANTT também disponibilizou a proposta dos termos aditivos que devem ser assinados pelas concessionárias de ferrovias que terão interligação com a Norte-Sul. Os termos garantirão o chamado direito de passagem, permitindo que as mercadorias da Norte-Sul acessem portos como o de Santos (SP). Ao todo, o trecho ferroviário que será concedido se interligará com cinco ferrovias.

Fonte: ANTT, 27/6/2017

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Maxwell Rodrigues
  • Postado em: quinta-feira, 29 jun 2017 10:28Altualizado em: segunda-feira, 01 jan 1900 00:00
  • porto   maxwell rodrigues   unisanta   
Divulgação Divulgação

Apresentador do Porto & Negócios, Maxwell Rodrigues será um dos palestrantes de Conferência sobre Portos em Vitória

A partir da próxima segunda-feira (3), a 1ª Conferência Internacional de Portos – Formação de Políticas Portuárias será realizada até quarta-feira (5) no Hotel Golden Tulip Porto Vitória, na capital do Espírito Santo. Na ocasião, nós estaremos falando sobre desafios e expectativas para o setor e eu terei a oportunidade ser um dos palestrantes.

No dia 5, às 14h, realizarei a Palestra “Automação Portuária: O Futuro dos Portos no Brasil”. Além da palestra na qual estarei presente, o evento reúne uma série de temas importantes e que, certamente, irão agregar conhecimento e troca de informações entre as grandes autoridades do ramo em todo o país.

Programação:
Segunda-feira (3)
20h - Cerimônia de Recepção e fala de boas-vindas de Luis Claudio Montenegro - Diretor Presidente da CODESA - “Administração empreendedora”

Terça-feira (4)
8h - 9h Credenciamento

9h - Apresentação Tecnologias Portuárias

12h - Almoço

14h - Abertura da Conferência Internacional
Lançamento do Selo Comemorativo
Assinatura do Convênio para criação do Centro
Nacional de Referência em Tecnologia Portuária
CODESA-UFES/IFES

14h40 – Palestra "Comércio Marítimo e Navegação: Desenvolvimentos e Desafios em Nível Internacional”
Palestrante: Dr. Shuo Ma (CHI)

15h30 – Palestra “Tendências no Transporte Marítimo: Reflexos sobre a Atividade Portuária ”
Palestrante: Dr. Fernando Cruz Gonçalves (POR)

16h10 - Coffee Break

16h25 - Debate Desafios atuais do transporte marítimo
Mediador: Luiz Fernando Barbosa dos Santos (IFES)

17h - Encerramento

Quarta-feira (5)
9h – Palestra “Concessões nos Portos – A experiência Espanhola”
Palestrante: Dr. Jose Luis Estrada Llaquet (ESP)

9h50 – Palestra “Novos Modelos de Gestão e Governança nos Portos”
Palestrante: Dr. Eduardo Silva Martins (POR)

10h40 - Coffee Break

11h - Debate Gestão e Governança
Mediadora: Mayhara Chaves - Diretora de Planejamento e Desenvolvimento da CODESA

12h - Almoço

14h – Palestra “Automação Portuária: O Futuro dos Portos no Brasil”
Palestrante: Maxwell Rodrigues - CEO da ERGOS GROUP

14h40 – Palestra “Espírito Santo: desafios e oportunidades para o desenvolvimento e a logística do Estado”
Palestrante: José Eduardo Azevedo de Faria - Secretário de Desenvolvimento do Estado do ES

15h30 - Debate Desafios e Oportunidades para o ES
Mediador: Daniel Farinelli Leite – IFES

17h - Café de encerramento

 

 

Leia Mais
PORTO CHIBATÃO PORTO CHIBATÃO

EPL estuda transformar em terminal privado 15 áreas próximas a portos

A EPL (Empresa de Planejamento e Logística) está estudando pelo menos 15 áreas adjacentes a portos públicos do país para transformá-las em terminais privados (TUP). A companhia estatal, que é responsável pelo planejamento das ações de infraestrutura do governo federal, também analisa entre esses projetos novas áreas para a construção de terminais (greenfield).

O trabalho, no momento, se concentra em estimar o tipo de terminal adequado a cada região e as obras necessárias para a construção do terminal portuário. Os projetos seriam em áreas da União, mas é possível também usar áreas de estados e municípios próximas a portos organizados para fazer essa concessão. A previsão da EPL é licitar todos os terminais até o fim de 2018.

A diferença dos projetos que estão em estudo pelo governo para um TUP privado é que eles serão construídos em área da União e, por isso, os terminais precisarão ser licitados. Os TUPs que são feitos em áreas particulares são autorizados pela agência reguladora, num processo em que não há concorrência; qualquer pessoa que tiver a área pode solicitar, e o governo autoriza se entender que não há conflito com outros terminais.

O funcionamento de um TUP é diferente do de um terminal instalado na área pública do porto. Os que estão na área pública são submetidos ao controle das Companhias Docas, estatais que o governo estuda privatizar. Além do estudo em andamento pelo BNDES sobre a Codesa (Docas do Espírito Santo), outras estatais também estão em análise para a venda de ativos.

O modelo seria semelhante ao que foi realizado nos governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff na aviação. A primeira concessão foi do pequeno aeroporto da região de Natal (RN), como uma forma de teste. Em seguida, vieram as concessões de cinco grandes unidades do país. A avaliação dentro do governo é que o maior desafio para o processo de privatização dessas companhias será a de solucionar as questões trabalhistas.

A autorização para que os TUPs possam transportar qualquer tipo de carga, cuja regra foi esclarecida na nova Lei de Portos de 2012, tem feito com que ganhem mercado dos terminais públicos. De acordo com dados da ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Terrestres), em 2012, os TUPs de contêineres eram responsáveis por 18,3% da movimentação desse tipo de carga no país. No ano passado, alcançaram 30%.

 

 

Leia Mais
     
Sobre
Os principais temas relacionados ao Porto de Santos, o maior da América Latina, serão abordados neste espaço pelo comentarista do Caderno Regional e apresentador do programa Porto & Negócios, Maxwell Rodrigues.