ANSA ANSA

É fã de felinos? Comemore hoje o Dia Internacional dos Gatos

Amantes dos animais podem comemorar. Nesta terça-feira, 8 de agosto, é celebrado o Dia Internacional do Gato, instituída em 2002 pela International Fund for Animal Welfare (IFAW) com o objetivo de debater e conscientizar donos de pets sobre como cuidar corretamente dos felinos.

Nas redes sociais, os gatos estão entre os assuntos mais comentados de hoje. E os bichinhos são tão populares que têm até outro dia para comemorar. A data 17 de fevereiro também é considerada o Dia Mundial dos Gatos e foi estabelecida por uma instituição italiana para promover uma campanha contra os maus tratos.

Os gatinhos ainda são protagonistas ao longo do ano do Dia de Abraçar Seu Gato(em 4 de junho), o Dia Nacional do Gato (em 29 de outubro, nos Estados Unidos) e o Dia Nacional do Gato Preto (em 17 de novembro, também nos EUA).

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: ANSA
  • Postado em: terça-feira, 08 ago 2017 11:48Altualizado em: terça-feira, 08 ago 2017 17:21
  • dia dos gatos   felinos   animais   
Daniela Freitas/ Bastidores Comunicação/ Fotos Públicas Daniela Freitas/ Bastidores Comunicação/ Fotos Públicas

Médicos veterinários ajudam Justiça Brasileira em condenação inédita por crime contra animais

O trabalho de uma equipe de médicos veterinários foi essencial para a decisão inédita da Justiça Brasileira de condenar uma pessoa à prisão por maus-tratos e morte de animais.

O caso teve início em 2012, quando 37 cachorros e gatos foram encontrados mortos em sacos de lixo, na capital paulista. As provas deram início ao processo que resultou na condenação, no dia 18 de junho, de Dalva Lina da Silva, pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, a mais de 12 anos de prisão, além do pagamento de multa.

Em casos anteriores, semelhantes a esse, as penas aplicadas foram mais leves, como prestação de serviços comunitários e multas.

O médico veterinário Paulo César Maiorka, integrante da Comissão de Especialidades Emergentes (CNEE) do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) coordenou o trabalho de perícia no caso. A pedido da Polícia Militar, a equipe recebeu os cadáveres dos animais e realizou os exames de necropsia, além de colher o material para exame toxicológico.

"A Polícia Militar de São Paulo nos pediu urgência na emissão dos laudos porque era um crime de morte em massa. Os exames realizados serviram para constatar que houve mesmo maus-tratos e crime, os animais eram saudáveis", afirma Maiorka.

A Medicina Veterinária Legal é um ramo da profissão que faz a ligação e aplicação dos conhecimentos técnicos às questões judiciais e aos aspectos legais do exercício profissional. Os laudos periciais feitos pelos médicos veterinários são essenciais para que o Ministério Público, Polícia Civil ou Polícia Federal, por exemplo, obtenham provas para processos de crimes contra a fauna ou animais domésticos, por exemplo.

O presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária, Benedito Fortes de Arruda, destaca que a Medicina Veterinária Forense é um apoio científico para desvendar crimes, maus-tratos e fraudes.

"Graças a verdadeiros estudiosos esta área do conhecimento tem mostrado um crescimento fantástico. Exige-se para seu desempenho, conhecimentos de balística, direito penal e civil, processual, patologia forense, laboratório, ética, entre outros. O CFMV está atento a essa área, cuja expansão de atividade é presente em todos os continentes. Queremos que mais médicos veterinários venham participar da Medicina Veterinária Forense e planejamos, para breve, cursos de capacitação de profissionais", afirma Arruda.

Os exames mostraram que Dalva Lina da Silva, que não era médica veterinária, usou injeção de cetamina, uma substância anestésica de uso restrito. Os animais foram encontrados com várias perfurações e morreram de hemorragia.

Dalva Lina da Silva foi processada pelo Ministério Público pelo crime previsto no artigo 32, parágrafo 2º, da Lei Federal de Crimes Ambientais por maus-tratos seguido de morte dos animais. Além disso, acrescentou-se mais uma acusação, a de uso de substância proibida.

"Essa condenação é exemplar e esperamos que, dessa forma, nós consigamos realmente proteger os animais do nosso país de situações de maus-tratos", afirma a presidente da Comissão de Ética, Bioética e Bem-estar Animal do CFMV, Carla Molento.

O médico veterinário e professor Eduardo Ribeiro Filetti comenta que ajudou a polícia ambiental a colocar no xadrez um ambulante que matou uma ave silvestre na praia em São Vicente em 2010.Uma moradora observou o fato e chamou a polícia que pediu o nosso laudo. Crimes contra animais tem que serem punidos exemplarmente, afirma o médico veterinário santista

Hoje os animais são mais protegidos pela legislação mais temos que cobrar das autoridades a sua aplicação , comenta Filetti.

 

 

Leia Mais
Mônica Basile/Santaportal Mônica Basile/Santaportal

Viajar com animais exige cuidados ; confira as dicas do veterinário Eduardo Filetti

Julho é um dos meses de férias da criançada, e com isso as viagens são realizadas com mais frequência, e a presença dos animais de estimação é cada vez mais comum. Não há maiores dificuldades para se viajar com cães, gatos ou aves. Confira uma lista com as dicas de como transportá-los:

Se o meio de transporte for coletivo (ônibus o aviões) será necessário o preenchimento de formalidades legais
Para viajar cães e gatos devem ter atestado de saúde e de vacinação contra a raiva. O ideal seria que tivem sido aplicadas todas as vacinas!

Além disso é preciso apresentar a guia que é fornecida, nos aeroportos e nas rodoviárias, pelo Médico Veterinário de plantão, do Ministério da Agricultura. Os pássaros necessitam apenas desta guia.

Se o transporte for aéreo verifique se a companhia fornece gaiolas apropriadas para tal finalidade
Para quem viaja de carro particular é recomendável parar a cada 3 horas, de modo que o animal possa satisfazer suas necessidades fisiológicas e também fazer um pouco de exercício. Devemos oferecer um pouco de água. Evitar que o animal ponha a cabeça para fora quando o carro estiver em movimento, pois poderá acontecer uma conjuntivite em raças sensíveis à poeira.

Para as internacionais temos que observar as regras dos países que o pet vai entrar.Alguns países da Europa e América temos que realizar um exame verificando anticorpos do vírus rábico que deve ser feito com bastante antecedência.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Eduardo Filetti
  • Postado em: terça-feira, 11 jul 2017 16:28Altualizado em: terça-feira, 11 jul 2017 18:16
  • animais   viagens   férias   
DIVULGAÇÃO/ PREFEITURA DE GUARUJÁ DIVULGAÇÃO/ PREFEITURA DE GUARUJÁ

Feira de adoção temática em Guarujá resultou na adoção de 18 bichinhos

Feirinha caipira, de adoção de animais, foi atração do ultimo final de semana na Praça dos Expedicionários, centro do Guarujá. No ultimo sábado (dia 8), o local ganhou bandeirinhas coloridas. No mês passado, a equipe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) aproveitou o tema do dia dos namorados e enfeitou o local da feirinha com muitos corações.

Essa tendência de realizar feirinhas de adoção com temas e enfeitá-la de acordo, visa a chamar atenção dos transeuntes em dia de feira de adoção. A iniciativa tem mostrado bons resultados. A feirinha de sábado (8) resultou na adoção de 18 animais entre cães e gatos. Os filhotes são os mais procurados, mas, desta vez, três cães adultos ganharam um novo lar.

Os animais entregues à adoção são vacinados, vermifugados e castrados, e no caso de ainda não terem alcançado a data ideal de castração, o adotante recebe um vale, que garantirá o procedimento ao seu animal no CCZ, na data adequada.

Castração
O cadastro de castração foi realizado no sábado e relacionou 400 animais (caninos e felinos), para serem submetidos à castração sem custo. No último dia 22 foram iniciadas as primeiras castrações, que obedecem à listagem.

O CCZ efetua ligações telefônicas para os números fornecidos no cadastro e marca a data da cirurgia. São efetuadas três tentativas. A coordenação do CCZ estima atender a demanda relacionada em três meses, desde o inicio das castrações. Não há previsão de abertura de novo cadastro.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: #Santaportal
  • Postado em: terça-feira, 11 jul 2017 11:40Altualizado em: terça-feira, 11 jul 2017 16:32
Andréa Rêgo Barros/PCR Andréa Rêgo Barros/PCR

Você sabe o que é Parvovirose? Doença afeta os cães

A parvovirose é uma enfermidade causada por vírus altamente contagioso e afeta, principalmente, os filhotes acarretando uma alta taxa de mortalidade. Animais adultos também podem ser afetados se não forem vacinados. Não é transmitida a seres humanos, pois é uma doença exclusiva de cães (canídeos).

Seus sintomas podem ser:

- Febre; 

- Depressão;
- Perda do Apetite;
- Vômitos;
- Diarréia Hemorrágica;
- Desidratação;
- Choque;
- Morte.

A severidade da doença pode variar desde uma infecção inaparente, até sintomas severos levando a óbito. O músculo cardíaco pode ser afetado, sendo este, um dos maiores motivos da morte dos cães com essa doença.

A transmissão ocorre pelas fezes de cães contaminados para os sadios. O vírus pode ser transportado na patas, nos pêlos, por gaiolas infectadas, pneus de carro, calçados ou pelas mãos humanas. Como o vírus é muito resistente, ele pode permanecer viável no meio ambiente por meses e na terra por mais tempo.

O reconhecimento precoce dos sintomas e o tratamento imediato pode ser a diferença entre a sobrevivência e a morte do cão. Dessa forma, o tratamento tem como objetivo levantar a resistência, fortalecer o organismo e evitar a desidratação. Mas é importante manter a defesa do próprio organismo.

As vacinas de boa qualidade são o único método de proteção para seu cão. Mas se ele já está com a doença não adiantas vaciná-lo. O esquema de vacinação para a parvovirose começa com 42 e 60 dias de idade e mais 2 reforços posteriores, somente após essas 3 doses é que o cão estará protegido. Vacinar seu cão é indispensável para que ele tenha uma vida saudável e ele só pode sair a rua quando estiver totalmente vacinado.

Se seu cão está em tratamento para a parvovirose, siga as seguintes orientações médicas: corte a água, administre soro lentamente, traga-o para o retorno na clínica e só ofereça comida quando for indicado.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Eduardo Filetti
  • Postado em: quarta-feira, 05 jul 2017 10:22Altualizado em: quarta-feira, 05 jul 2017 17:23
  • Parvovirose   doença   animais   
      Página Posterior >>
Sobre
Tudo sobre a saúde, alimentação, lazer e curiosidades sobre seu melhor amigo! Galeria de fotos dos pets mais bonitos. Informação e serviço você encontra aqui, no espaço perfeito para os bichinhos de estimação: Santa Pet!