Calvin Klein Calvin Klein

Calvin Klein e Andy Warhol: moda e arte juntas

Moda e arte caminham juntas, inclusive acredito na moda como uma forma de arte também, então adoro projetos que unem as duas.

A grife norte-americana - que eu amo – Calvin Klein assinou hoje parceria com a Fundação Andy Warhol apoiando financeiramente a instituição que tem o objetivo de distribuir subsídios que sustentem a criação, apresentação e documentação da arte visual contemporânea.

A Calvin Klein terá acesso aos trabalhos mais recentes do artista (falecido em 1987), incluindo muitos que nunca foram publicados. A parceria global até 2020 se estenderá também a projetos de licenciamento em várias linhas de negócios da label. A primeira parceria entre a marca e a Fundação aconteceu durante o desfile da coleção Primavera 2018 CALVIN KLEIN 205W39NYC (setembro) que chega às lojas americanas em janeiro de 2018. Uma seleção de obras de Warhol foi incorporada na coleção e está essencialmente ligada às inspirações provenientes do cinema à fábrica de sonhos de Hollywood e suas representações tanto do pesadelo como do sonho americano. As peças apresentam retratos feitos por Warhol da colecionadora de arte Sandra Brant (1971), do astro de cinema Dennis Hopper (1971), bem como Knives (1981-82), Electric Chair (1964-65) e Ambulance Disaster (1963-64), da série Death and Disaster, de Warhol.

"Percebí que o trabalho de Warhol é muito mais profundo do que apenas as alegres pinturas das latas de sopa Campbell", diz Raf Simons, Diretor Criativo da marca. "Ele capturou todos os aspectos da experiência americana, incluindo em alguns momentos até mesmo seu lado mais obscuro. A arte de Warhol diz mais verdades sobre este país do que se pode encontrar quase em qualquer outro lugar ".

A ligação de Andy Warhol com a moda vem desde seu princípio como artista, quando suas imagens espirituosas de sapatos atraíram os olhos das revistas Vogue e Harper's Bazaar. Na década de 70, a conexão tornou-se mais pessoal quando Warhol fez amizade com uma nova geração de designers de Nova York que incluíam o próprio Calvin Klein. Klein capturou uma nova e verdadeira essência americana em suas criações encaixando-se perfeitamente com a linguagem do artista.

Agora, 30 anos após a morte de Warhol, Raf Simons - diretor criativo da label - está retomando este relacionamento. Graças à The Andy Warhol Foundation for Visual Arts, Simons vem moldando seu olhar sobre esta colaboração com o gênio eterno de Warhol, construído sobre os ideais criativos que ambos compartilham. Assim como a arte de Warhol, o trabalho de Simons para 2018 é abraçar sem medo o tempo em que vivemos hoje. (grifo meu: conturbados e confusos).

"Estou orgulhoso pois, através deste acordo de licenciamento com a Fundação Andy Warhol para as Artes Visuais, a Calvin Klein continuará com seu antigo compromisso de celebrar artistas americanos e seu prolífico trabalho ", diz Steve Shiffman, Diretor Executivo da Calvin Klein, Inc.

"O legado de Warhol não se limita à enorme influência de seus conceitos atemporais, mas também ao trabalho da Fundação que ele estabeleceu e que se tornou um dos mais conceituados financiadores da arte contemporânea, distribuindo US $ 275 milhões em bolsas desde sua criação", afirma Michael Dayton Hermann, Diretor de Licenciamento da Fundação Warhol. "Estamos orgulhosos de que o trabalho visionário de Raf Simons na Calvin Klein abrace descaradamente todas as facetas do trabalho de Warhol e contribua generosamente para a Fundação".

Fiquei muito feliz com o anúncio da parceria e estou bem curiosa para ver as peças que serão criadas a partir disto.

• Suzana Azar é jornalista especializada em moda e estilo de vida. Autora do blog www.suzanices.com.br

Para sugestões de temas e opiniões: suzanicesblog@gmail.com

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Suzana Elias Azar
  • Postado em: terça-feira, 28 nov 2017 21:53Altualizado em: segunda-feira, 01 jan 1900 00:00
     
Sobre