Divulgação/Burger King Brasil Divulgação/Burger King Brasil

Balde de sorvete de 1 litro é o novo lançamento de uma rede de fast food no Brasil

Ao pensar em inovação, a rede de fast food Burger King decidiu unir o famoso biscoito Oreo ao sorvete com acréscimo de doce de leite, mas a novidade não parou por aí: o diferencial do produto está no tamanho. O lançamento irá proporcionar aos clientes um pote de quase 1 litro de sorvete.

A edição levou o nome de BK Mix, onde o pote foi trocado por um balde de 980 ml de sorvete, é limitada. Ou seja, deve se estender até que acabem os estoques das 697 unidades da rede Burger King no Brasil. O preço sugerido, segundo a empresa, é de R$ 17,90.

A versão original em tamanho para consumir individualmente continua disponível no cardápio e tem o valor variado de R$ 7 a R$ 10.

Inovação
Não é a primeira vez que a rede norte-americana oferece refeições em tamanho família para encher os olhos dos clientes no Brasil. Atualmente, a novidade do balde também funciona com a batata frita.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Redação #Santaportal
  • Postado em: quarta-feira, 14 mar 2018 17:40Atualizado em: quinta-feira, 15 mar 2018 00:36
Divulgação Divulgação

Marmitex ganha cara nova em São Paulo; Alex Atala vende "quentinhas" por R$ 50

A gourmetização pediu licença para a ‘refeição nossa de cada dia’ de quem trabalha fora, mais conhecida como marmita. Com Alex Atala no comando, o Mercadinho Dalva e Dito, no Jardins, em São Paulo, vai começar a vender marmitas “chiques” e diárias a partir desta segunda-feira (12)

Os pedidos podem ser feitos de seunga a sexta-feira apenas no horário do almoço, sendo entre as 11h e 15h. Elas são apresentadas em embalagens típicas de alumínio, a diferença está na forma de fazer e nos ingredientes mais elaborados, por exemplo, o arroz com feijão divide espaço com opção ovo-vegetariana ou com adição de proteína animal.

Em dois tamanhos, a versão com carne custa R$ 35 (os 400 gramas) ou R$ 50 (800 gramas); já a vegetariana (R$ 27) só terá a menor quantidade.

A estreia aconteceu ontem (12) e quem pediu a "marmita gourmet" pode levar: arroz, feijão, couve e ovo (marmita veggie) ou arroz, feijão, couve e picadinho (marmita carnívora).

Os pedidos devem ser feitos no balcão do Mercadinho ou reservados pelo telefone (11) 3068- 4444.

Tendência Gourmet
A "gourmetização" é uma prática adotada por empresas para agregar valor a um determinado produto por meio da diferenciação.

Serviço
Mercadinho Dalva e Dito
Endereço: Rua Padre João Manuel, nº 1.115, bairro Jardim Paulista, em São Paulo
Tel: (11) 3068-4444

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Redação #Santaportal
  • Postado em: terça-feira, 13 mar 2018 16:08Atualizado em: quarta-feira, 14 mar 2018 14:54
  • gourmet   marmita   inovação   
Reprodução/Ansa Brasil Reprodução/Ansa Brasil

Beber 2 taças de vinho por dia reduz risco de Alzheimer

Além de reduzir o risco de contrair doenças cardiovasculares e de desenvolver o câncer, beber duas taças de vinho por dia pode ajudar também o cérebro a eliminar toxinas associadas ao mal de Alzheimer.

De acordo com um novo estudo publicado na revista "Scientific Reports", uma ingestão moderada da bebida pode ajudar a reduzir as chances de uma pessoa ter a doença. No entanto, o consumo em excesso tem o efeito contrário.

Os cientistas estudaram os efeitos do álcool em cobaias vivas. Os ratos que ficaram um longo período com um alto nível de álcool no sangue tiveram com as células astrocitos, importantes na regulação do sistema glinfático (localizado no cérebro), mais propensas a inflamações.

Já os camundongos expostos a baixos níveis de consumo de álcool, equivalentes a cerca de dois copos de vinho por dia, tiveram um resultado diferente, com o sistema glinfático mais eficiente na remoção de células ruins - além de diminuir o nível de inflamação cerebral.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Redação #Santaportal, com informações da Agência ANSA
  • Postado em: terça-feira, 06 fev 2018 16:06Atualizado em: quarta-feira, 07 fev 2018 20:54
  • vinho   saúde   cultura   
Reprodução/ANSA Reprodução/ANSA

Governo da Itália confirma proibição a comidas com insetos

O Ministério da Saúde da Itália esclareceu nesta quarta-feira (17) que o uso de qualquer espécie de inseto para fins alimentares no país continua proibida, embora a prática seja cada vez mais comum na Europa.

A dúvida sobre o assunto havia surgido após a entrada em vigor, em 1º de janeiro, de um regulamento da União Europeia que abre a possibilidade de servir gafanhotos e grilos em restaurantes. No entanto, o governo italiano veio a público para esclarecer que nada mudou até o momento.

"No momento, nenhuma espécie de inseto está autorizada", diz um comunicado do Ministério da Saúde. Segundo a pasta, a autorização para colocar no mercado alimentos desse tipo deve ser solicitada primeiramente à Comissão Europeia.

Enquanto alguns países da Europa autorizam a comercialização de insetos em supermercados, outras nações adotam um regime de "tolerância" na utilização dos bichinhos em comidas.

No fim de dezembro, uma padaria da Finlândia começou a vender pão com grilo. Na ocasião, a empresa que fabrica o alimento defendeu que ele possui mais proteínas do que o pão normal.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Redação #Santaportal, com informações da Agência ANSA
  • Postado em: quarta-feira, 17 jan 2018 17:33Atualizado em: quarta-feira, 17 jan 2018 21:55
  • comida   insetos   Itália   
Reprodução Reprodução

Conheça 10 receitas 'italianas' que só existem no Brasil

Sardella, rondelli, bife à parmegiana e palha italiana. Por aqui, essa parece uma refeição típica de cantina, mas muitos italianos se assustariam com esse menu, já que nenhum desses pratos existe dessa maneira na Itália.

São diversas as receitas atribuídas à Itália, mas que, na verdade, foram inventadas ou adaptadas no Brasil. A maioria desses pratos surgiu pelo fato dos imigrantes italianos não encontrarem por aqui os ingredientes para suas receitas originais, como azeites e farinhas.

"Os primeiros italianos que chegaram não tinham muitos ingredientes e precisaram adaptar. Aqueles que trouxeram mudas e sementes nas malas também precisaram se adaptar ao Novo Mundo, com terra, água e condições climáticas bem diferentes daquelas por eles conhecidas", disse Gerardo Landulfo, delegado da Accademia Italiana della Cucina.

1 - Filé à parmegiana com arroz e fritas: O bife à milanesa até existe na Itália, mas é feito com cordeiro. O filé com arroz e fritas é um prato totalmente inventado no Brasil. Segundo Landulfo, o que "denuncia" a "invenção brasileira" é o acompanhamento, tipicamente nacional.

2 - Palha italiana: O doce feito de brigadeiro e biscoito não tem nada de italiano. Sua origem é brasileira e, muito provavelmente, do sul do Brasil, onde há forte colonização da Itália. A "inspiração" pode ter sido o "salaminho de chocolate", que existe na Itália. "O uso de brigadeiro - tipicamente brasileiro - já demonstra sua origem", disse o especialista.

3 - Fogazza: A "fogazza brasileira" pode ter "duas origens": a inspiração na "focaccia" italiana, um pão assado e macio que é servido com azeite e originário de Gênova, ou no "panzerotto", um alimento similar ao calzone. Segundo Landulfo, a focaccia é encontrada em várias versões na Itália, sendo a mais tradicional a de Gênova. Também em Recco há uma versão recheada da receita, com queijo stracchino.

Na cidade de São Paulo, a focaccia mais conhecida foi trazida pelos imigrantes da Púglia, a "focaccia barese". Ela leva farinha e batata na massa, com pedaços tomates e azeitonas como cobertura. Tradicional na Festa de San Vito, aqui ela recebeu o nome de "ficazza". "Já o panzerotto não tem nada a ver com a focaccia, mas no Brasil virou 'fogazza', sendo similar ao calzone que são tradicionais no sul da Itália, especialmente, na Púglia e na Campânia. Estes, sim, podem ter vários tipos de recheios, sendo o mais tradicional com queijo, tomate e orégano", explicou o especialista

4 - Pizzas com coberturas 'exóticas': Pizza de chocolate, de cream cheese, de estrogonofe, frango catupiry… são milhares de variações que chegam às mesas dos brasileiros nos mais diferentes restaurantes. E não há nada de italiano nessas coberturas exóticas. Os sabores foram criados por cozinheiros e chefs Brasil afora.

A verdadeira pizza italiana tem longa fermentação e cobertura de molho de tomate pelado.

5 - Sardella: A receita de Sardella é típica da região da Calábria, feita com sardinha e condimentos.

O processo é o mesmo há séculos: o peixe é pescado entre fevereiro e abril, lavado com água doce e colocado para secar com sal. Depois, os peixes são colocados para salgar entre seis e sete meses, de onde é extraído o molho e misturado com condimentos. Segundo Landulfo, a receita ainda leva sementes de erva-doce e é conservada dentro de um vidro com azeite de oliva.

Mas, no Brasil, ela é feito com pimentão e variações de anchovas e sardinhas compradas já prontas. No entanto, Landulfo afirma que a receita muda de "cidade para cidade" na Calábria, onde é conhecia como "rosamarina", e a receita feita no Brasil acaba tendo uma inspiração italiana.De acordo com o especialista, a sardella italiana tem a "paternidade reivindicada" por quatro cidades banhadas pelo Mar Jônico: Crucoli, Cirò Marina, Curiati e Trebisacce

6 - Rondelli: Apesar do nome italiano, o rondelli - enrolado de massa com recheio - não existe no país europeu. Lá, existe, o "rotoli" ou "rotolini", que tem uma receita muito parecida com a brasileira.

7 - Bolonhesa: O molho bolonhesa, ou "bolognese", tem uma receita similar na Itália, mas chamada de ragú. Porém, não existe na Itália o prato "espaguete à bolonhesa". "Não se faz com espaguete esse molho, mas com tagliatelle, uma massa fresca. O que pode ter inspirado é o 'tagliatelle al ragù', mas que não é só carne moída e molho de tomate. A receita tem três tipos de carne, pouquíssimo molho de tomate e tem um cozimento mais demorado. A bolonhesa é uma adaptação mais simples", diz Landulfo. Na mesma linha, está a lasanha à bolonhesa. Normalmente, na Itália, ela conta com massa verde, tem sete camadas, usa o molho de ragù - mas, também leva o molho bechamel.

8 - Polpetone: Mais uma invenção de um chefe brasileiro, mais precisamente de São Paulo, do restaurante Jardim De Napoli. De acordo com Landulfo, "a única coisa que os dois pratos têm em comum é a questão do reaproveitamento de sobras".

Na Itália, o polpetone é um alimento cilíndrico e colocado ao forno, algo parecido com um rocambole. A invenção brasileira é um bolo de carne achatado, com queijo, frito e servido com muito molho de tomate.

9 - Capelletti à romanesca: Outra invenção de um restaurante paulistano, o capelletti à romanesca não existe na Itália. Criado pelo chef Giovanni Bruno, morto em 2014, ela usa a massa de capelletti recheada com carne, cebola, presunto, cogumelos, ervilhas e creme de leite.Bruno contou que criou a receita pois havia um cliente que fizera uma viagem de Veneza a Roma, passando por Bolonha, onde comera tortellini. O chef, então, tentou adaptar o prato, usando capelletti.

10 - Risoto à piamontese/piemontese: De acordo com Landulfo, a região de Piemonte é famosa por diversos tipos de receitas de risoto, mas o piamontese essa não existe por lá. O arroz é o ingrediente que mais remete ao Piemonte, mas a receita brasileira conta com caldo de frango, manteiga, azeita, cebola, alho, presunto, ervilhas, vinho branco seco e champignon.

 
blog20181145413988.jpgblog2018114240365.jpg

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Redação #Santaportal, com informações da Agência ANSA
  • Postado em: domingo, 14 jan 2018 11:32Atualizado em: quinta-feira, 18 jan 2018 00:30
<< Página Anterior       Página Posterior >>
Sobre
Dicas, receitas e notícias sobre uma das áreas que mais crescem no mercado de trabalho. Os programas da tevê. Análises, receitas e curiosidades.