Reprodução Reprodução

Fantasias sexuais

Quando a realidade não preenche a fantasia complementa. Quando li ou ouvi algo assim pela primeira vez, jovenzinha e bobinha, achei o cúmulo. Como assim?

Viver e valorizar a fantasia é igual acreditar no Papai Noel, na cegonha e no coelhinho da Páscoa, mas graças a Deus evoluímos e crescemos. Hoje eu diria sem medo de errar que se tivermos 50% de nossa vida calcada nas nossas fantasias e sonhos,seremos muito mais leves , produtivos naquela outra metade de pés ancorados fortemente no chão em qualquer que seja o aspecto de nossa vida.

Nesse sentido é importante integrar as fantasias sexuais na realidade sexual dos casais,como sendo aquele espaço em que corpos e amantes se comunicam sem nenhum tipo de barreira. O assunto veio à baila numa roda, por causa do personagem da novela da hora, o delegado afeito a coisas bem concretas como crimes e tráfico de pessoas que na sua intimidade se permite viver as mais loucas e as vezes pueris fantasias sexuais.

Creio ser esse o grande barato,sairmos do ego e dar um mergulho na essência,brincar como criança em aspectos de gente grande,tais como desejos e sexo. O tom da fantasia não precisa ser explicado nem entendido ,mas podem ser ditas ao  pé do ouvido ,cada fantasia deve e essa é a lei ser compartilhada pelos dois envolvidos,pois o grande objetivo de se permitir coloca-las em prática é estimular " aqueles segredos de nós dois" como diz a música. Na verdade são esses segredos, que uma troca de olhar ou um sorriso maroto anunciam que fazem as verdadeiras e fortes alianças.

 

 

  • Publicado por: Marcia Atik
  • Postado em: sexta-feira, 29 mar 2019 08:09Atualizado em: sexta-feira, 29 mar 2019 20:51
  • sexualidade   

Comentários (0)

Enviar Comentário