Essa tal felicidade

Ah! Onde está essa tal de felicidade! É o que ouvimos no dia a dia de consultório daquelas pessoas desalentadas ou disfuncionais em alguma área da sua vida.
Aprendemos que a felicidade é algo enorme, invasiva, barulhenta e frenética, nessa crença do minuto de felicidade que explode o coração acabamos passando batido nas pequenas felicidades as “petit bonheur” que segundo os franceses é elegante e carinhosa na alma+ que é a felicidade do momento.
E o que é a vida senão uma sequencia de momentos?
A felicidade pode estar bem escondidinha nos pequenos atos do dia-a-dia.
Descubra-a criando pequenos rituais, como agradecer a boa noite de sono ao acordar, ou sempre tomar um copo de água depois de escovar os dentes para sentir a sensação de "boca fresca". Se você não tem nenhum, crie alguns. Se você já tem os seus, faça-os com prazer e alegria.
O que esse conselho das avós tema ver com a sexualidade? TUDO.
Sim porque quem não tem a capacidade de perceber as pequenas alegrias, felicidades, e sensações do dia a dia não terá uma relação boa, com sua sexualidade.
Sim, porque ao contrario dos grandes e barulhentos orgasmos, dos corpos esculturais e faces botocadas, o afeto e o desejo está bem escondido nas pequenas coisas do cotidiano, aspectos que não estamos valorizando muito e que acabam com aquilo que resta na nossa autonomia de busca da felicidade.
É hora de criar nossos modelos, modelos pessoais de felicidade, modelos que usam a nossa própria experiência e história e não cultivar modelos importados, copiados em busca de um ideal que está muito longe de nós.
Felicidade é isso, simples e pertinho de nós.

 

 

  • Publicado por: marcia atik
  • Postado em: sexta-feira, 31 mai 2019 07:40
  • felicidade+   

Comentários (0)

Enviar Comentário