Como Lucille Ball, estrela de ‘I Love Lucy’, salvou o seriado Star Trek

Star Trek é um ícone da ficção científica e também da cultura pop que mudou radicalmente a forma como o tema era tratado na tevê e influenciou tudo o que foi feito pela indústria do entretenimento depois dele. Mas nada disso aconteceria se não fosse a visão e a influência de uma estrela da comédia: Lucille Ball, de I Love Lucy.

A história é a seguinte: em 1965 o criador e produtor de Star Trek, Gene Roddenberry conseguiu que a NBC encomendasse um piloto (primeiro episódio) de seu proposto show. Assim nasceu The Cage, o primeiro episódio do seriado, que foi recusado pelo canal de tevê por ser “inteligente demais”.

Muitas das características do seriado já estavam presentes nessa primeira produção. Outras, não. O capitão, por exemplo, não era James Kirk e sim Christopher Pike, vivido por Jeffrey Hunter. A primeiro oficial era uma mulher, vivida por Majel Barret, então esposa de Gene Roddenbery. Spock já estava lá mas era bem diferente. Sorria e não tinha sua personalidade baseada na fria lógica.

Pois bem: depois da recusa da NBC o seriado estava virtualmente condenado. Ele havia sido gravado nos estúdios Desilu, na Califórnia. O Desilu havia sido criado em 1951 por Lucille Ball e seu marido Desi Arnaz (foto ao lado). Mas em 65 o casal já estava separado e Lucy comandava sozinha o estúdio. E foi ela que, contra a opinião de quase todos os seus diretores, resolveu bancar Star Trek desde o primeiro momento.

Foi ela que, usando de toda a sua influência na indústria do entretenimento, conseguiu convencer a NBC a encomendar um segundo episódio piloto para o show. O elenco foi reformulado, chamaram William Shatner para ser o capitão, que agora se chamaria Kirk, e produziram Onde Nenhum Homem Jamais Esteve.

Este novo primeiro episódio foi aprovado, o show entrou na grade de programação do canal, teve três temporadas e o resto é uma outra história para um outro momento. O fato, aqui, é que Lucy é a principal responsável pela indústria ter aceitado as ideias e os conceitos de Gene Roddenberry e produzido seu show.

Star Trek se tornou uma franquia de sucesso com outras quatro séries para a tevê, mais de uma dezena de filmes para o cinema e uma nova saga cinematográfica recente, conduzida por J.J. Abrams. Um sucesso estrondoso. Outros seriados da Desilu, aliás, seguiram o mesmo caminho, como Missão Impossível e Os Intocáveis.

 

 

  • Publicado por: Gustavo Klein
  • Postado em: segunda-feira, 12 jun 2017 15:47

Comentários (0)

Escreva seu comentário
     
Sobre
Cinema, música, literatura, séries de tevê e muito mais. As últimas notícias. Entrevistas com quem faz cultura. As resenhas dos filmes em cartaz e das séries do momento. Os livros mais legais. Tudo isso e muito mais você encontra aqui, no Santa Cultura!