Divulgação Divulgação

Sou grato às escolas em que estudei... mas foi nas bibliotecas que me tornei quem sou!

Hoje é o Dia da Biblioteca. Com todo o respeito às escolas nas quais estudei, foi nas bibliotecas que me tornei quem sou. Especialmente em três: a do CCBEU, onde grandes bibliotecárias como a Neube Fumagalli e a Tita Tavares me aguentavam, moleque chato e perguntador, quase diariamente fuçando suas prateleiras...
 
Na Escola Americana de Santos, descobri a literatura estrangeira pelas mãos de Mrs. Villa. E no colégio Santa Cecília, uma doce senhora, motoqueira, já falecida, me guiou pelos autores e multiplicou o que já era uma apaixonada relação com os livros. Não me recordo do primeiro nome dela. O sobrenome me lembro porque era de uma atriz clássica: Colbert.
 
Sou grato a todas estas 'guias' que tive, influenciadoras, que se tornaram amigas, inclusive, até hoje. E que espaços de descoberta como as bibliotecas estejam sempre presentes na vida das crianças.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Gustavo Klein
  • Postado em: segunda-feira, 09 abr 2018 13:16
Divulgação Divulgação

Musa do cinema e da canção, Doris Day chega aos 95 anos

Uma das mais lindas e bem sucedidas musas do cinema acaba de completar 95 anos. Doris Mary Ann von Kappelhoff, ou simplesmente Doris Day nasceu em Cincinnati, no estado de Ohio, nos Estados Unidos, no 03 de abril de 1922 e começou a sua carreira artística aos 17 anos, como cantora de big bands, em 1939.

Em 1945, quando gravou "Sentimental Journey", seu primeiro sucesso musical, tornou-se uma das mais populares cantoras norte-americanas, com mais de 650 gravações musicais entre 1947 a 1967.

No cinema, o seu primeiro sucesso foi "Romance em Alto-Mar" (1948), seguido por outros filmes de grande bilheteria, incluindo musicais, comédias e dramas. Teve o papel principal em "Ardida como pimenta" (1953) e, ao lado de James Stewart, estrelou "O Homem Que Sabia Demais" (1956), de Alfred Hitchcock.

Dentre os seus filmes mais conhecidos estão comédias como "Confidências à Meia-Noite" (1959) e "Eu, Ela e a Outra" (1963). Na TV, estrelou entre 1968 e 1973 "The Doris Day Show", da CBS.

Recebeu o Grammy Lifetime Achievement Award e um Legend Award da Society of Singers. Em 1960, foi nomeada para o Oscar de Melhor Atriz, e, em 1989, recebeu o Prêmio Cecil B. DeMille por sua contribuição ao mundo do entretenimento. Em 2004, recebeu a Medalha Presidencial da Liberdade, concedida pelo Presidente George W. Bush, seguida em 2011 pelo Achievement Award da Los Angeles Film Critics Association.

Trabalhou em 44 longas-metragens, sendo o primeiro "Thou Shalt not Kill" (1939) e o último "With Six You Get Eggroll" (1968, no Brasil intitulado "Tem homem na cama da mamãe"). Porém, a gloriosa atriz sofreu com a morte de seu único filho, Terry Melcher, em 2004, aos 62 anos. Músico e produtor musical, Terry trabalhou com bandas como The Byrds e Beach Boys.

A partir de então, Doris Day dedica-se exclusivamente à proteção de animais na Doris Day Pet Foundation.
Aprecie a cantora e atriz Doris Day interpretando o sucesso internacional "Que Sera Sera (Whatever Will Be, Will Be)".

Marco Damy é jornalista e músico

 

Doris Day - Que sera, sera

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Marco Damy
  • Postado em: segunda-feira, 09 abr 2018 11:04
Divulgação Divulgação

Monty Python chega (com tudo) ao Netflix brasileiro em abril

Excelente notícia para quem já é fã e para quem gosta de humor: a trupe britânica Monty Python chega ao Netflix Brasil em abril. E não apenas com seus filmes para cinema mas com seu programa 'Monty Python Flying Circus', que revolucionou o humor nos anos 70. O anúncio foi feito ontem e vale para todo o mundo (com exceção dos EUA, que só vão receber o material em dezembro).

Olha só a lista do que vai chegar:

Monty Python e o Cálice Sagrado
Monty Python A Vida de Brian
Monty Python's Flying Circus
Monty Python's Personal Best
Monty Python Best Bits (mostly)
Monty Python Live (mostly) : One Down, Five to Go
Monty Python Conquers America
The Meaning of Monty Python
Monty Python: O Sentido da Vida

Monty Python é um grupo de comédia britânico, que foram os criadores e intérpretes da série cômica Monty Python's Flying Circus, um programa de televisão britânico que foi ao ar pela primeira vez em 5 de outubro de 1969. Teve 45 episódios divididos em 4 temporadas. Entretanto o fenômeno Python não se limitou a apenas isso, espalhando-se por shows, filmes, programas de rádio e diversos jogos de computador e livros, além de lançar seus seis integrantes ao estrelato.

Ah: eles também criaram o termo "spam", que define coisas que são enviadas sem serem solicitadas. Você também pode descobrir como e ler outras histórias da trupe no livro 'Monty Python - Uma Autobiografia", lançado pela editora Realejo.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Gustavo Klein
  • Postado em: quinta-feira, 22 mar 2018 11:31Atualizado em: quinta-feira, 22 mar 2018 20:43
Divulgação Divulgação

Entre outros méritos, 'A Forma da Água' tem a voz doce de Madeleine Peyroux

O uso de 'La Javanaise' em 'A Forma da Água' me levou de volta a 2007 - lá se vão 11 anos - e ao impacto que sofri ao descobrir essa deliciosa cantora canadense, Madeleine Peyroux. Tudo por causa de uma notinha que li na Folha de S. Paulo falando de uma cantora que não conhecia que estava desaparecida (foi encontrada uma semana depois vagando sem memória, mas agora está muito bem) e fui atrás.

Aqui, compartilho a versão dela para 'Dance Me To The End of Love', composição de outro canadense do qual sou fã: Leonard Cohen. Uma bela voz, que até lembra um pouco Billie Holliday mas que tem personalidade própria. Grande cantora.

 

Madeleine Peyroux - La Javanaise

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Gustavo Klein
  • Postado em: quinta-feira, 15 fev 2018 09:42Atualizado em: quinta-feira, 15 fev 2018 20:18
Divulgação Divulgação

Um dos grandes momentos da Segunda Guerra, Dunkirk é tema de dois indicados ao Oscar de melhor Filme

São dois os filmes que tratam, diretamente, do episódio de Dunkirk, durante a Segunda Guerra Mundial, e que concorrem ao Oscar de Melhor Filme deste ano. Um o faz muito bem, que é o próprio Dunkirk, do Christopher Nolan.

Outro, 'O Destino de Uma Nação o faz por tabela, ao mostrar os primeiros dias de Winston Churchill como Primeiro-Ministro inglês, tendo a missão de salvar os mais de 300 mil soldados britânicos cercados por nazistas.

Este último, apesar da boa interpretação de Gary Oldman, que pode, com justiça, levar o Oscar, é um tanto quanto decepcionante. E olhe que fui com toda a boa vontade do mundo, já que gosto bastante dos filmes da produtora Working Title, como 'O Discurso do Rei', 'Um Lugar Chamado Notting Hill', 'A Teoria de Tudo' e 'Orgulho e Preconceito'. Aliás, um parêntesis: a própria Working Title já havia falado de Dunkirk antes, no belíssimo 'Desejo e Reparação'.

'Dunkirk' deve levar alguns prêmios técnicos. Seria ótimo vê-lo levar Melhor Filme mas não acho que vá acontecer, assim como também não devem dar o prêmio para o excepcional 'A Forma da Água', meu favorito. O prêmio principal deve cair com algum filme panfletário, como tem sido hábito. Ando meio traumatizado com o Oscar desde o episódio ridículo do ano passado. A 'O Destino' deve sobrar apenas o prêmio de ator.

 

Assista ao trailer de 'Dunkirk'

 

Assista ao trailer de 'O Destino de Uma Nação'

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Gustavo Klein
  • Postado em: quarta-feira, 14 fev 2018 11:26Atualizado em: quinta-feira, 15 fev 2018 00:41
      Página Posterior >>
Sobre
Cinema, música, literatura, séries de tevê e muito mais. As últimas notícias. Entrevistas com quem faz cultura. As resenhas dos filmes em cartaz e das séries do momento. Os livros mais legais. Tudo isso e muito mais você encontra aqui, no Santa Cultura!