Divulgação Divulgação

Sem radicalismo

A Renault Duster mudou, mas não foi tanto assim. Há alterações maiores e menores no design, sim, só que não houve a transformação, a criação de uma nova geração, nada disso. São modificações nos faróis, vincos mais evidentes nas laterais e mudanças aerodinâmicas e a lanterna traseira que, pelo formato, lembra (e muito, por sinal), o Jeep Renegade. O pisca se dá em formato de cruz, enquanto o concorrente vai de X.

Há mudanças maiores no motor. O 2.0 deixa de existir e toda a gama fica com o 1.6 SCe flex, que rende 120 cv de potência com etanol no tanque. De acordo com os executivos da marca francesa, as vendas não justificavam a manutenção do motor mais forte. Em paralelo, as versões 4x4 também dão adeus e a Duster passa a não ter mais a pegada off road.

No entanto, a organização do evento de lançamento da SUV em Foz do Iguaçu (PR) organizou um test drive que tirou na maior parte do percurso a Duster do asfalto. Tudo começava na suavidade, mas logo partia para ruas mais esburacadas, vias com buracos maiores, desníveis e, por fim, terra. Bastante terra. Não necessariamente um off-road, mas terra.

Primeira questão nisso tudo: desafiar um carro 4x2 que não terá mais versões 4x4, ou seja, mostrar que ele pode em terrenos ruins. Segundo ponto: a Duster ficou mais alta. Agora são 23 cm de altura livre do solo, 30º de ângulo de ataque e 34,5º de ângulo de saída. E por essa novas medidas a suspensão foi mexida. Era a hora de desafiar essa suspensão.

Em um primeiro momento o SUV passou até com certo louvor. A nova suspensão absorve muito bem os impactos, algo raro em uma Renault conhecida pela suspensão dura. Passa em um buraco com o Kwid ou o Sandero para sentir a batida da roda com com metálico. Não é nada agradável. Na Duster isso não acontece.
Ah, o porta-malas tem 475 litros. Nada mal...

Os preços foram mantidos. A Duster parte de R$ 71.790 na versão Zen Manual e R$ 77.790 na versão com transmissão CVT. Na versão intermediária Intense são pedidos R$ 83.490 e a gama fecha com a topo de linha Iconic, que custa R$ 87.490.

 

 

  • Publicado por: Paulo Rogério
  • Postado em: quinta-feira, 12 mar 2020 17:20

Comentários (0)

Enviar Comentário
     
Sobre
O mundo automotivo dentro e fora da estrada! Pelo jornalista Paulo Rogério, especializado em automobilismo.