Divulgação Divulgação

Arte no Dique abre inscrições para oficinas do 2º semestre

O Instituto Arte no Dique, que em 28 de novembro completará 16 anos de atuação, está com inscrições gratuitas abertas para as oficinas do segundo semestre de 2018.

Os cursos abertos ao público são:
- Dança de Forró, do professor Thiago Sasaki, com aulas às quintas-feiras das 18h às 20h, para pessoas com idade superior a 17 anos.

- Teatro, do arte-educador Danilo Nunes, com aulas às segundas e quintas, das 16h ás 18h, voltadas a pessoas com idade acima de sete anos. Essa oficina resultará na formação do espetáculo musical “Só os Loucos Sabem”, sobre a história do vocalista Chorão, da banda Charlie Brown Jr.

- Customização, da professora Jurema de Jesus, às terças e sextas, das 16h às 18h, para pessoas com idade acima dos 16 anos.

- Capoeira, do Mestre Nando, às terçãs e quintas, das 20h às 22h, para crianças com mais de sete anos.

As inscrições gratuitas podem ser feitas até 28 de agosto, de segunda a sexta-feira, na sede da instituição (Rua Brigadeiro Faria Lima, 1349, Rádio Clube), das 9h ás 12h e das 14h às 17h. Podem se matricular pessoas de toda a Baixada Santista.

Sobre o Arte no Dique
O Instituto Arte no Dique desenvolve trabalho sócio cultural com a população do Dique da Vila Gilda na Zona Noroeste de Santos. Tem a missão de oferecer oportunidade de transformação e desenvolvimento humano e social a crianças, adolescentes, jovens e adultos através da participação da comunidade em ações educativas, de geração de renda, meio ambiente e valorização da cultura popular da região.

O projeto é desenvolvido numa das regiões de maior vulnerabilidade social da cidade, com uma população de 22 mil habitantes vivendo em condições precárias, em palafitas à beira do mangue, sobre o Rio Bugre.

Atualmente, a instituição oferece oficinas de percussão, dança, capoeira, teatro, customização, costura, taekwondo e inclusão digital, além de dezenas de atividades ao longo do ano, como apresentações musicais, espetáculos teatrais, sessões de filmes, workshops, etc, atendendo mais de 600 pessoas da região.

Ainda em 2018 será inaugurado o Restaurante das Palafitas, espaço de refeições populares que visa extinguir a fome naquela região.

Maiores informações: www.artenodique.org e www.facebook.com/artenodique.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: quinta-feira, 23 ago 2018 22:22Atualizado em: sexta-feira, 24 ago 2018 00:02
  • Arte   Cultura   Dique   
Divulgação Divulgação

Cine Roxy diversifica programação com filmes franceses e outros países a partir de setembro

Atendendo a pedidos, partir de setembro o Cine Roxy, de Santos, inicia um projeto de diversificação de sua programação. Uma sala do Cine Roxy 4 do Pátio Iporanga trará semanalmente filmes de diferentes países, cultuados, premiados e destaques em festivais,

Para começar, dois longas-metragens estrelados pela vencedora do Oscar (de atriz coadjuvante por “o Paciente Inglês”), Juliette Binoche. Em 5 de setembro a estreia será “Vision” (da distribuidora Imovision). Uma semana depois chega o filme sensação do Festival Varilux deste ano, “Quem Você Pensa Que Sou” (Califórnia Filmes).

Em “Vision”, drama que se passa no interior do Japão, sua personagem busca uma planta medicinal que nasce uma vez a cada milênio.

Jeanne (Binoche) é uma jornalista que vai passar o verão em uma floresta no Japão, procurando uma erva medicinal chamada visão, que promete curar a angústia e fraqueza emocional da humanidade. Durante sua pesquisa nas montanhas, ela confrontará seu passado, já que vinte anos antes, viveu seu primeiro amor no mesmo local.

Parte da seleção oficial do Festival de Toronto e San Sebastian, “Vision” é dirigido por Naomi Kawase (“Esplendor”), e tem no elenco Masatoshi Nagase (“Paterson”), Mari Natsuki (“A Viagem de Chihiro”) e Min Tanaka (“47 Ronins”).

Em “Quem Você Pensa Que Sou”, de Safy Nebbou, a atriz vive Claire Millaud, de 50 anos. Abandonada pelo marido, a protagonista decide criar um perfil falso em uma rede social. Lá, ela atende por Clara, uma bela jovem de 24 anos. O avatar interage com o jovem Alex, que acaba se apaixonando por ela enquanto Claire, por trás das telas, também começa a ama-lo e ficar viciada, sem saber como se desfazer da própria mentira.

“Tenaz e frágil ao mesmo tempo, sem maquiagem nem joias, Juliette Binoche, que tem a idade e a fúria do seu personagem, está num dos seus melhores papéis: ela dança realmente na beira do precipício”, escreveu Jérôme Garcin, no Le Nouvel Observateur,

Mais detalhes sobre a programação e o título do projeto serão divulgados em breve pelo Cine Roxy. O Cine Roxy fica à Avenida Ana Costa, 465, Gonzaga, no Shopping Pátio Iporanga.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: sexta-feira, 30 ago 2019 00:59Atualizado em: segunda-feira, 01 jan 1900 00:00
  • Cultura   Cinema   Arte   
Divulgação Divulgação

Instituto Arte no Dique recebe homenagem no Paço Municipal de Santos

Nesta quarta-feira, 23 de outubro, 18h, o Instituto Arte no Dique será homenageado no Paço Municipal de Santos, em cerimônia realizada no Salão Nobre Esmeraldo Tarquínio.
Marcarão presenças autoridades municipais, entre representantes da Prefeitura e da Câmara Municipal da cidade.

O evento contará com apresentação musical do Coletivo Querô, formado por crianças e jovens alunos das oficinas da instituição. Na ocasião, especificamente, se apresentarão as crianças que irão para o Intercâmbio Cultural na Itália, em dezembro.

Também será exibido um filme sobre o Intercâmbio Cultural de 2018, produzido na Itália.

“Esse tipo de reconhecimento do poder público para o instituto denota um olhar atento para as causas sociais e é fundamental no desenvolvimento de uma sociedade na qual as diferenças sejam diminuídas e haja mais oportunidades para todos”, ressalta o presidente do Arte no Dique, José Virgílio Leal de Figueiredo.

Sobre o intercâmbio:

O Intercâmbio Cultural Internacional teve início em 2012. Desde lá, os participantes do Arte no Dique tiveram a oportunidade de visitar e receber artistas e empreendedores sociais de diversos países da América do Sul e Europa. Com isso, foi possível oportunizar a troca, vivência e ganho de repertório cultural e social de crianças e jovens e de todo o público envolvido nessa ação.

Ao longo desse período, dois jovens que frequentavam as oficinas de percussão do Instituto Arte no Dique decidiram viver profissionalmente em solo europeu, eles são: Gabriel Prado, 22 anos, morador de Bari na Itália onde vive há quatro anos, e Jorge Henrique, da mesma idade, morador de Marselha, na França, há dois anos.
Em 2019, oito crianças entre 07 e 12 anos, moradores do Dique da Vila Gilda e de bairros vizinhos, estão realizando ensaios diariamente para uma nova viagem. A experiência em um outro país permitirá, ainda que por alguns dias, encontrar um “novo mundo”, onde terão acesso a outros hábitos, costumes, identidades, gastronomia, idiomas, horizontes, enfim, cultura.

Sobre o Instituto Arte no Dique

28 de novembro de 2002. Nessa data foi lançada a pedra fundamental do Instituto Arte no Dique. Passados quase 17 anos, mais de 10 mil pessoas, em grande parte moradores do Dique da Vila Gilda, em Santos, frequentaram as oficinas da instituição, tiveram acesso à cultura e à arte. “Cultura como um todo”, como costuma dizer o presidente da ONG, José Virgílio Leal de Figueiredo, já que o Arte no Dique trabalha, com seus colaboradores, alunos, frequentadores, parceiros, a questão da cidadania. Desde a entrega semanal de leite para a comunidade, até as oficinas de percussão (que deu início ao projeto), violão, dança, informática, customização, as exibições de filmes seguidas de debates, shows. Artistas de renome internacional como Gilberto Gil, Moraes Moreira, Sergio Mamberti, Lecy Brandão, Wilson Simoninha, Hamilton de Holanda, Armandinho Macedo, Luiz Caldas, entre outros, já se apresentaram no espaço.
O Dique da Vila Gilda na Zona Noroeste de Santos é a região com o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Baixada Santista, onde está a maior favela sobre palafitas do Brasil, com cerca de 25 mil habitantes vivendo em condições precárias, em palafitas à beira do mangue, sobre o Rio Bugre.

Diariamente, cerca de 600 pessoas participam do projeto, que tem a missão de oferecer oportunidade de transformação e desenvolvimento humano e social a crianças, adolescentes, jovens e adultos através da participação da comunidade em ações educativas, de geração de renda, meio ambiente e valorização da cultura popular da região. O trabalho sério, que gerou importantes resultados inclusivos, levou a instituição a tornar-se referência internacional em inclusão social.

O Arte no Dique é referência no projeto Escola Integrada, atuando no contra-turno de alunos da rede municipal, possibilitando às crianças o contato com as artes, a cultura, a inclusão e a cidadania.

O Instituto foi fundamental na criação do Restaurante Bom Prato, lançado no fim de 2018 dentro de seu terreno e que, desde então, tem contribuído para combater a fome na região.

Serviço:
Cerimônia de Homenagem ao Arte no Dique
Quarta-feira, 23 de outubro, 18h
Paço Municipal de Santos – Salão Nobre Esmeraldo Tarquínio. Praça Visconde de Mauá, s/n.
Entrada franca.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: terça-feira, 22 out 2019 15:46Atualizado em: segunda-feira, 01 jan 1900 00:00
  • Cultura   Santos   Arte   
Divulgação / Nice Gonçalves Divulgação / Nice Gonçalves

Ex-aluno do Arte no Dique, que mora na França, envia aula de percussão para crianças e jovens de Santos

O Instituto Arte no Dique, em virtude da pandemia do coronavírus e da necessidade cada vez mais urgente de distanciamento social, segue veiculando diariamente em seu canal do Youtube aulas das oficinas culturais para que os alunos não percam o semestre letivo. A experiência tem se mostrado um sucesso, com total adesão dos alunos e, inclusive, acessos de crianças, jovens e adultos que não são frequentadores dos cursos da instituição. As aulas, vale ressaltar, estão visíveis para qualquer pessoa interessada.

Agora, quem adere ao projeto é o ex-aluno de percussão do instituto e músico Jorge Santos, 22 anos, que mora atualmente em Marselha, na França, onde é músico profissional e leva o legado da organização. Ele ministrou uma aula especial que está disponibilizada no link https://www.youtube.com/watch?v=Yw6cobPFGTc. A aula tem introdução do professor de percussão do Arte no Dique, Edson Cabeça, que foi professor de Jorge.

“O ritmo dessa aula eu aprendi com Mestre Patinho Axé, do grupo Ilê Aiyê, de forte influência da percussão no Brasil e internacionalmente”, diz Jorge. O Ilê Aiyê é o primeiro bloco afro da Bahia, atuando há 46 anos.

“Neste momento difícil em que populações de baixa renda precisam total atenção para conseguirem superar a crise causada pela pandemia, nos comprometemos em manter o ensino das crianças. Nos sentimos orgulhosos em ver o crescimento profissional de jovens que passaram pelo instituto e hoje brilham na Europa e essa retribuição ao passar seu conhecimento para os mais novos”, ressalta o presidente da ONG, José Virgílio Leal de Figueiredo.

Diariamente são disponibilizadas online no canal do Arte no Dique as aulas das oficinas de Capoeira, Artes Visuais, Teatro, Música, Desenho, Desenho, Dança, Jogos e Brincadeiras. As aulas serão postadas de acordo com o conteúdo programático de cada curso. A disponibilização online das aulas continuará enquanto for preciso realizar o distanciamento social sem que os alunos percam o semestre letivo.

Sobre o Arte no Dique


28 de novembro de 2002. Nessa data foi lançada a pedra fundamental do Instituto Arte no Dique. Passados 17 anos, mais de 15 mil pessoas, em grande parte moradores do Dique da Vila Gilda, em Santos, frequentaram as oficinas da instituição, tiveram acesso à cultura e à arte. “Cultura como um todo”, como costuma dizer o presidente da ONG, José Virgílio Leal de Figueiredo, já que o Arte no Dique trabalha, com seus colaboradores, alunos, frequentadores, parceiros, a questão da cidadania. Desde a entrega semanal de leite para a comunidade, até as oficinas de percussão (que deram início ao projeto), violão, dança, informática, customização, as exibições de filmes seguidas de debates, shows. Artistas de renome como Gilberto Gil, Moraes Moreira, Sergio Mamberti, Lecy Brandão, Wilson Simoninha, Hamilton de Holanda, Armandinho Macedo, Luiz Caldas, Geraldo Azevedo, Luciano Quirino, entre outros, já se apresentaram no espaço.


Diariamente, cerca de 600 pessoas participam do projeto, que tem a missão de oferecer oportunidade de transformação e desenvolvimento humano e social a crianças, adolescentes, jovens e adultos através da participação da comunidade em ações educativas, de geração de renda, meio ambiente e valorização da cultura popular da região. O trabalho sério, que gerou importantes resultados inclusivos, levou a instituição a tornar-se referência em inclusão social, no Brasil e no exterior, sendo convidada diversas vezes festivais e congressos.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: terça-feira, 19 mai 2020 16:44Atualizado em: segunda-feira, 01 jan 1900 00:00
  • Cultura   Arte no Dique   Arte   
Divulgação Divulgação

Diretor Elder Fraga participa de live da página Histórias do Cinema para falar sobre cinema independente e impactos da pandemia no setor

página Histórias do Cinema (www.facebook.com/historiasdocinemaporandreazenha) do crítico de cinema santista André Azenha, tem realizado, desde o dia 2 de maio, lives todos os sábados, sempre às 18h, para abordar temas relativos ao segmento audiovisual e os impactos da pandemia no segmento.


Já foram comentadas as perspectivas para os filmes adiados e as redes de exibição, a importância da produção nacional e, no último sábado, foi realizada uma entrevista com a atriz Ondina Clais, de extensa carreira em teatro, cinema, televisão e streaming.


Em cerca de uma hora de conversa, a atriz (que esteve em O Filme da Minha Vida, João, o Maestro e Vou Nadar Até Você) falou sobre sua trajetória, os meandros da profissão, Antunes Filho, Seltom Mello (ela trabalhou com ambos), o desmonte realizado pelo poder público na cultura e a situação da Secretária Nacional de Cultura Regina Duarte, entre outros temas. A live foi transmitida originalmente pela página no Facebook e depois disponibilizada no Youtube, no link https://www.youtube.com/watch?v=qZOSlHVBS7w&t=839s.


Neste sábado, 23 de maio, 18h, será a vez do premiado cineasta, produtor, ator e diretor teatral Elder Fraga falar sobre produção independente e como a pandemia tem afetado o segmento.


Recentemente ele rodou o curta Diário de Isolamento 121, produzido totalmente em casa, selecionado para o Quarentena Film Festival.


Elder já dirigiu dois longas-metragens - um inédito para 2020 – o documentário O Artista e a Força do Pensamento, sobre a vida e obra do dançarino Marcos Abranches - e sete curtas-metragens acumulando na sua curta carreira 41 prêmios e 24 indicações, 4 prêmios no teatro, e 2 prêmios como personalidade da arte em 2018.


Seus filmes já passaram por mais de 23 países, sendo duas vezes pelo Festival de Cannes, em 2014 com o curta Os Bons Parceiros, baseado na obra do dramaturgo Plínio Marcos e, em 2015, com Nóia um dia no limite, sobre uma usuária de cocaína
interpretada pela atriz Patrícia Vilela, que recebeu o prêmio de melhor atriz em Los Angeles no The World Cinema Festival.


O diretor ganhou prêmios em Nova York no The Peoples Film Festival e 49th Annual WorldFest-Houston. Dirigiu o videoclipe As armas que matam, do maior grupo de rap do Brasil, o RZO, e ganhou melhor videoclipe no 9º Fest Clip.



Seu primeiro longa-metragem o SP: Crônicas de uma cidade real vem fazendo uma ótima carreira nos festivais internacionais e no Brasil, acumulando mais de dez prêmios.


Em 2017, teve seu curta Ser ou não ser selecionado pelo grande ator e diretor inglês Kenneth Branagh, patrono do festival mais importante do mundo sobre as obras de William Shakespeare, o Shakespeare BirthPlace Trust’s Film Festival. Com esse filme ganhou o prêmio de Melhor diretor no Festival Curta Suzano 2018. No mesmo ano o filme foi selecionado para o festival de Clermont –Ferrand (França) um dos maiores do mundo.



No cinema, como ator, foi dirigido por grandes nomes do cinema nacional como Laís Bodanzky, José Mojica Marins, Roberto Moreira, Helena Ignez, André Ristum, Tadeu Jungle entre outros. Atuou ao lado de grandes nomes do cinema nacional como Tônia Carrero, Beth Faria, Leonardo Villar, Daniel Oliveira, Cauã Raymond, Rodrigo Santoro, Sergio Mamberti, Karin Rodrigues, Eva Vilma, Ailton Graça entre outros.



A live será transmitida primeiro no link www.facebook.com/historiasdocinemaporandreazenha. O ator, diretor e produtor Paulo Betti será um dos próximos entrevistados do canal.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: sexta-feira, 22 mai 2020 16:54Atualizado em: segunda-feira, 01 jan 1900 00:00
  • Cinema   Arte   Live