Divulgação Divulgação

7ª Ação do Coração reflete situação dos refugiados no mundo

Surgida como uma homenagem ao ator santista Eduardo Furkini, em 2012, a Ação do Coração é uma celebrac¸a~o de amor, de esperanc¸a, de fe´ e de doac¸a~o que reu´ne milhares de pessoas em diversos lugares do Brasil e em outros pai´ses, sempre no dia 2 de agosto – conforme Lei Municipal 2.884 de 19 de dezembro de 2012. Foi criada e e´ realizada pela Associac¸a~o que leva o nome do ator. Ano a ano, busca refletir temas contemporâneos, que espelham a sociedade e o mundo. Em 2018, o projeto tem como tema “Nosso Coração, Nosso Território - Refugiados, Excluídos e Migrantes”.

 

A escolha deste tema busca juntar esforços aos já realizados por outras instituições para sensibilizar a sociedade sobre esse grave problema humanitário. Para isso, a Ação do Coração 2018 tem o apoio institucional do Alto das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR Brasil) e dos Correios do Brasil que viabilizou a confecção de um selo postal em comemoração à Sétima Edição do projeto.

 

O selo postal e o carimbo comemorativo a 7ª  Ação do Coração foi lançado no último dia 20 de junho no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo e contou com a presença de autoridades e entidades que trabalham em apoio a refugiados, migrantes e excluídos.

 

Após sete anos, o cerne da Campanha continua a ser a confecção e doação de corações de tecido. O coração aproxima, inspira e abre caminho para novas relações. Nesta edição, assim como nas anteriores, serão arrecadados doações de alimentos não perecíveis, agasalhos e brinquedos, que serão destinadas a instituições de auxílio indicadas pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR Brasil) e para os Fundos Sociais de Solidariedade de Santos, São Vicente e de cidades da Região do Vale do Ribeira.

 

O dia escolhido pela Associação Eduardo Furkini vai ao encontro  do tema desta edição, que é “Nosso Coração, Nosso Território”, com foco em refugiados, excluídos e migrantes. 20 de junho é o Dia Mundial do Refugiado instituído no ano 2000 pela ONU, e visa homenagear a coragem e a força das milhões de pessoas que são obrigadas a fugir de suas casas e se refugiar em outras localidades para evitar perseguições, calamidades naturais ou guerras.

A temática desta edição da Ação do Coração quer sensibilizar a população, levando  a reflexão e proporcionar ações para aceitar e acolher os refugiados, excluídos e migrantes. Pensando nisso, serão promovidos encontros,  nos quais os refugiados também irão participar confeccionando corações  cheios de bons sentimentos e irão receber através de ONGs parceiras da Associação Eduardo Furkini, indicadas pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), a doação de alimentos não-perecíveis, agasalhos e brinquedos arrecadados durante a campanha.

 “Toda cerimônia será muito significativa. A parceria institucional com o ACNUR nos enche de orgulho e de responsabilidade”, ressalta Alexandre Camilo, idealizador do projeto. Sobre o Selo, Alexandre destaca que “o artista J. Borges fez a doação de sua xilogravura confeccionada especialmente para este item simbólico e nele vemos um Brasil com braços abertos cercado de pessoas de diversas etnias em harmonia, que demonstra em uma imagem tudo o que queremos passar com a escolha deste tema”.

“Tem pessoas que pensam que os refugiados não têm coração, mas tem sim. Vamos abraçar esses corações de fora e fazer com que sejam felizes. É uma honra participar mais um ano da Ação do Coração”, destaca J. Borges.

Ação do Coração

A campanha é uma grande mobilização onde as pessoas se reúnem para confeccionar corações de tecido de várias cores e tamanhos, recheados com uma boa intenção, além de fazerem doações de materiais que são destinadas a instituições de auxílio e caridade. A data é referente ao dia da morte do ator santista Eduardo Furkini, que faleceu vítima de um infarto e que inspirou o movimento.

No ano passado, a Ação do Coração recebeu quase 50 mil peças de roupas, quase cinco mil brinquedos e mais de 10 toneladas de alimentos. Foram confeccionados mais de 150 mil corações em 44 cidades e oito países.

Para este ano novamente foi programada uma agenda diversificada de atividades que antecedem a grande celebração de 2 de agosto.

Programação:

22.07 – Show da Cria Criou Companhia de Artes, na Concha Acústica de Santos, duas sessões às 15h45 e 19h15. Evento gratuito, entretanto pede-se ao público que doe 1 kg de alimento não perecível em prol da Ação do Coração.

23.07 – Lançamento do selo postal da Sétima Edição da Ação do Coração, na cidade de Santos. O lançamento acontecerá no Salão Nobre Prefeito Esmeraldo Soares Tarquínio de Campos Filho - Palácio José Bonifácio, na cidade de Santos, às 11h.

 

24.07 – Show “A Melodia do Coração” com a Banda de Música do Comando do  8 Distrito Naval, às 20h, no Teatro Municipal Brás Cubas.

 

28.07 – dois eventos:

11h às 16h - Pedágio para troca de brinquedos usados em bom estado de conservação por ingressos para a “Sessão do Coração” – filme infantil, e para o “Jogo da Solidariedade”, na Ilha Criativa do Boqueirão, na Av. Conselheiro Nébias, esquina com a Av. Vicente de Carvalho, Santos;

15.07 - Jogo da Solidariedade no Estádio Ulrico Mursa, da Portuguesa Santista, as 15hrs.

30.07 - dois eventos:

15h – Sessão do Coração, filme infantil, no Cine Roxy 6, às 15h, em São Vicente;

19h - Lançamento do selo postal da Sétima Edição da Ação do Coração, na cidade de São Vicente. O lançamento acontecerá no Instituto Histórico e Geográfico deSão Vicente, R. Frei Gaspar, 280 - Centro, São Vicente.

 31.07 -15h – Sessão do Coração, filme infantil, no Cine Roxy 5, em Santos.

Encerramento das oficinas de confecção de corações.

 

02.08 – 11h, Ação do Coração – Praça Mauá.

 

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: terça-feira, 24 jul 2018 22:40
  • Ação   Santos   Coração   
Divulgação Divulgação

Feira Criativa Misturô

Uma excelente opção de passeio e compras surge na Vila Prudente, recheada de opções de comida, roupas, acessórios e artesanato. 

Criada por Ector Caires e Caique Diegues, a feira tem como objetivo unir divulgação de talentos com geração de renda, tendo na feira os mais variados produtos como peças de vestuário, artesanato, costura criativa, design, decoração e muitos outros. O espaço também contará com área de alimentação recheada de novidades.

A entrada é franca e o ambiente é Pet Friendly, então é possível passear com toda a familia incluindo seu bichinho de estimação. 


blog2018717541486.jpg

O local do evento é Avenida Zelina, 720, Vila Prudente, São Paulo/SP e o evento acontecerá no dia 21/07 das 10hs as 17hs. Durante a feira haverá muita música e diversão. Para saber mais, acompanhe as redes sociais da Feira e o site oficial

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: terça-feira, 17 jul 2018 22:09
  • Bazar   Feira   Misturo   
Divulgação Divulgação

Banda A Cor do Som se apresenta no projeto O Som das Palafitas do Arte no Dique

O projeto O Som das Palafitas do Instituto Arte no Dique tem levado ao público grandes nomes da música brasileira como Hamilton de Holanda, Luiz Caldas, Armandinho Macedo e Geraldo Azevedo. E retorna em 29 de julho, um domingo, com A Cor do Som. A abertura da noite ficará a cargo do grupo santista Barracos.

 

Segundo o jornalista Antônio Carlos Miguel, especialista na área musical com 40 anos de carreira e membro votante do Grammy Latino, A Cor do Som é “caso raro de grupo que se mantém unido e criativo em quatro décadas de carreira. O repertório de ‘40 anos’ tanto aponta para o futuro, com cinco canções novas, quanto reafirma o passado original da banda, em sete regravações de clássicos tirados de seus primeiros álbuns. O resultado é vintage, fiel ao estilo criado por Armandinho, Dadi, Mú Carvalho, Gustavo Schroeter e Ary Dias; e contemporâneo, em refinada produção do Roupa Nova Ricardo Feghali (que também participou no piano ou nas programações e dividiu os arranjos com A Cor do Som).

 

Com sua inusitada e orgânica fusão de pop, choro, trio elétrico e progressivo, A Cor do Som foi a grande surpresa da música brasileira em fins dos anos 1970, antecipando o rock que iria imperar na década seguinte. O grupo começou a nascer no primeiro álbum solo de Moraes Moreira, em 1975, recém-saído dos Novos Baianos. Estavam nessas gravações Dadi (o jovem baixista carioca que tinha entrado para a comunidade musical dos Novos Baianos e também tocava com Jorge Ben), Armandinho (o mestre da guitarra baiana e do bandolim, filho do Osmar, um dos inventores do trio elétrico) e Gustavo (outro carioca, baterista que veio do grupo A Bolha e também músico de Jorge Ben), com  Mú (pianista e tecladista, irmão caçula de Dadi) estreando profissionalmente em uma faixa - e, logo em seguida, incorporado à banda nos shows. Já Ary Dias (percussionista baiano que veio de Banda do Companheiro Mágico), tocou no disco de estreia d’A Cor, mas só entrou oficialmente, completando a formação clássica, a partir do segundo álbum.

           

Como Dadi, mais de três décadas depois, contou no livro de memórias ‘Meu caminho é chão e céu’ (Record, 2014), a paixão de Armandinho e Mú pelo choro foi o estímulo para as primeiras músicas do grupo que começava a nascer. Quanto ao nome, foi pedido emprestado a Galvão e Pepeu Gomes, que chamavam de A Cor do Som o núcleo instrumental dos Novos Baianos.

 

Após dois discos instrumentais de grande repercussão junto à crítica, ‘A Cor do Som’ (1977) e ‘Ao vivo’ (registro do show no Festival de Jazz de Montreux, em julho de 1978), as portas se abriram de vez para o grupo quando Armandinho, Dadi e Mú também assumiram os microfones. Parcerias deles com, entre outros, Moraes Moreira e Fausto Nilo ou composições feitas especialmente para A Cor por Caetano e Gil garantiram as altas execuções nas emissoras de rádio e TV e os shows lotados por todo o Brasil.

 

Sucesso sem precedentes que durou por cerca de cinco anos, até o grupo ser atropelado pelo rock da geração seguinte. A partir do século XXI, o original som d’A Cor, que antecipava a mistura do rock com ritmos brasileiros, voltou a ser valorizado, citado como referência por muitos dos artistas que surgiram depois. Reconhecimento que é celebrado agora em “40 anos”. Como os bons vinhos, A Cor do Som soa melhor ainda com o passar do tempo, e brinda com esse diversificado leque de convidados.”

 

 

Leia Mais
Divulgação Divulgação

Bazar de Variedades Gastronômico e Cultural volta para mais uma edição

O Bazar de Variedades Gastronômico e Cultural volta em mais uma edição, repleta de artigos ótimos de decoração, vestuário e alimentação. Entre os expositores, teremos produtos de moda, semi-jóias, decoração, artesanato, massagens, além de ampla área com os mais deliciosos doces e salgados da região.

A feira não só movimenta a região da Igreja Nossa Senhora de Aparecida como fomenta o comércio local e artesanal, permitindo que novos empreendedores possam dar seguimento a seus negócios. Ao frequentar feiras e bazares você está ajudando a economia local, bem como obtendo itens únicos feitos artesanalmente com carinho e capricho que só são possíveis de encontrar neste tipo de ambiente. 

O bazar acontece nos dias 07/07 das 15h as 21h e no dia 08/07 das 11h as 21h. Lá acontecerão sorteios para os visitantes, além de ser possível doar alimentos e agasalhos durante todos os dias do evento. O local é Praça N.S. Aparecida 614. Além disso, acontecerão apresentações de dança e música de grupos culturais. Vale a pena conferir!


 

 

Leia Mais
Divulgação Divulgação

Santos Film Fest abre inscrições para voluntários

O 3º Santos Film Fest – Festival de Filmes de Santos se aproxima e a organização do evento abre inscrições para voluntários. Estudantes de cinema, comunicação, amantes da sétima arte, pessoas com experiência em monitoria, produção, cobertura audiovisual, mídias digitais, texto e interessados devem enviar email para [email protected] ou mensagem in box na página do facebook, até 20 de julho com nome completo, RG, idade, área de atuação, cidade onde reside, telefone e carta de interesse dizendo o por que deseja fazer parte da equipe. Após análise dos perfis os organizadores entrarão em contato. Para estudantes universitários são certificados de atividade extra curricular.

A terceira edição do festival acontecerá de 28 de agosto a 5 de setembro, com programação gratuita em pelo menos 15 espaços da cidade e refletirá a “Agenda 2030 da ONU e seus 17 objetivos", tema definido logo após a segunda edição, ocorrida em outubro de 2017. Inclusão, igualdade de direitos (entre raças, gêneros, etc), meio ambiente, combate ao preconceito, sustentabilidade e erradicação da fome são alguns dos temas abordados pela curadoria.

Mais de 70 filmes, entre nacionais e estrangeiros (França, Canadá, Suécia, entre outros países), serão exibidos. Os homenageados serão o crítico de cinema santista Rubens Ewald Filho e a cineasta Eliane Caffé. Acontecerão pré-estreias – já confirmadas dos longas “Odinei Ribeiro: O Narrador de Emoções”, “SP: Crônicas de uma Cidade Real”, “Ferrugem” e “Benzinho” - e sessões inclusivas, exposições, bate-papos com profissionais renomados da área, oficinas formativas, virada cinematográfica com café da manhã, apresentações musicais.

Em breve o festival anunciará a seleção de curtas, médias e longas-metragens que participarão da mostra do voto popular.

O festival é realizado por CineZen Cultural e tem co-realização da Prefeitura de Santos.

 

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: terça-feira, 03 jul 2018 21:51
  • Festival   Cinema   Santos   
<< Página Anterior       Página Posterior >>