Nadador de Guarujá é convocado para os Jogos Paralímpicos Rio 2016


1092 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 20/07/2016 às 18:58 - alterado em 20/07/2016 às 21:54
Nadador de Guarujá é convocado para os Jogos Paralímpicos Rio 2016 Divulgação/Prefeitura Municipal de Guarujá

RIO 2016 - O nadador Gabriel Cristiano, de 21 anos, que compete na categoria S8 (amputação de braço), foi convocado para defender a equipe brasileira de natação nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016.

“É uma sensação indescritível e maravilhosa. É o sonho de todo atleta participar de uma Olimpíada”, afirmou o nadador, que dividiu com a família e amigos a alegria pela convocação para compor a seleção brasileira nas Paralimpiadas.

O tempo de 27,82 conquistado na primeira seletiva, realizada em abril, no Open Internacional Caixa Loteria de Natação Paralímpica (RJ) foi o que colocou o atleta entre os selecionados. Mesmo não tendo a certeza da convocação, o nadador continuou competindo forte e conquistando medalhas. No último fim de semana (16/17) na 2ª etapa nacional – Circuito Loterias Caixa de atletismo e natação (SP), Gabriel faturou 2 medalhas de ouro, nos 50 metros livres e nos 100 metros borboleta.

Gabriel conheceu o esporte depois de um grave acidente. Ao se pendurar em um vagão de trem no bairro da Prainha, no distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá, teve o braço esquerdo amputado. Ele tinha apenas nove anos.

Mas ao jovem não faltou coragem para fazer da fatalidade um trampolim para a vitória.Aos 11 anos, ele começou a praticar surfe adaptado na escolinha Pirata Surf Club (Praia das Pitangueiras) com o professor Alcino Neto, o Pirata. Neste período, foi incentivado pela psicóloga Maria Gabriela a fazer natação com objetivo de se aperfeiçoar no surfe.

Segundo conta Gabriel Cristiano, durante as aulas na piscina do Vila Souza Atlético Clube ele conheceu a Associação Paradesportiva da Baixada Santista (APBS), que desenvolve trabalho voltado a pessoas com deficiência por meio do esporte, além de atividades sociais e de saúde, potencializando aspectos psicológicos e sociais e facilitando a integração e inclusão.

Em 2012, disputou a seletiva Paralímpica Escolar e não conseguiu se classificar. No entanto, a determinação falou mais alto e no ano seguinte conquistou a classificação. Nas Olimpíadas Escolares de 2013, faturou duas medalhas de ouro e uma prata. Logo veio a primeira convocação para a seleção brasileira e também a primeira competição internacional no Parapanamericano de Jovens, em Buenos Aires (Argentina), onde garantiu uma medalha de prata e duas de bronze.